sexta-feira, 11 de maio de 2018

Defeitos do sistema niteroiense: itinerários mal planejados

Além da ausência de linhas para destinos importantes, ainda temos linhas com trajetos mal planejados, que poderiam ganhar demanda e ser mais úteis se fossem alterados. Um bom exemplo disso é a linha 60, que liga a Ilha da Conceição a Icaraí. Ou melhor, parte de Icaraí, pois ele mal passa pelo bairro propriamente dito.

A linha surgiu em 1982, época em que muitas linhas então inéditas foram criadas (46, 60, 61, 62, 66) e é bastante útil para quem vive na isolada ilha da região norte de Niterói, próxima ao Contorno (que é integrada com a rodovia federal que serve São Gonçalo e passa pela Manilha, em Itaboraí). Antes, a ilha era servida apenas por uma linha, a 15 (Ilha da Conceição - Centro), hoje existente, após ter sido quase extinta nos anos 90.

O problema é que a linha poderia servir mais o bairro de Icaraí, passando por toda a praia e retornando na Rua Joaquim Távora (onde entram os ônibus em direção a São Francisco e Vital Brazil), seguindo depois pela Av. Roberto Silveira toda, substituindo a extinta linha 9, de altíssima demanda. Ao invés disso, entra na Rua Alvarez de Azevedo, no início de Icaraí e segue uma parte pequena da Roberto Silveira.

Há outro detalhe. Em 1982, a linha não passava pelo centro da cidade, ganhando tempo em seu percurso. Não precisava ir ao centro porque na época a linha 15 já servia o percurso que ligava a Ilha ao centro da cidade. Com a rápida extinção da linha, a 60 alterou o seu itinerário, deixando de seguir diretamente a Av. Marquês do Paraná, no sentido Ilha, para entrar na Av. Ernani do Amaral Peixoto, curvando a parte norte da Av. Visconde de Rio Branco e seguindo a Av. Feliciano Sodré em direção à Ilha.

Na volta (sentido Icaraí), segue a Av. Jansen de Mello, Marquês do Paraná e entra na Av. Ernani de Amaral Peixoto, para desta vez entrar na parte sul da Av. Visconde de Rio Branco, fazendo escala em Gragoatá para seguir até o Ingá e depois Icaraí. Este trecho para Gragoatá poderia muito bem estar sendo feito pela 15, dispensando a 60 de chegar até o centro.

Outros casos de itinerários mal planejados

Apesar de eu considerar o problema da escassez de destinos maior que o de trajetos mal planejados, há outras linhas cujo trajeto precisa ser corrigido. Um exemplo é o caso das variações das linhas 38 (Itaipú - Centro) e 39 (Piratininga - Centro).

As duas linhas possuem variações com o acréscimo da letra "A" após o numero: 38A (Engenho do Mato - Centro) e 39A (também Piratininga - Centro, só que passando pelo bairro de Cafubá, ao invés da via geral na versão tradicional).

Acontece que a prefeitura poderia ter feito com que as versões "A" das linhas variassem o trajeto em relação a suas versões originais. Ambas as 38s passam por São Francisco e ambas as 39 por Santa Rosa. A demanda da 38A fica sem ir para Santa Rosa e a da 39A fica sem ir a São Francisco. Antigamente, a 38A servia Santa Rosa, mas a prefeitura cometeu a burrada de transferi-la para São Francisco, consagrando a redundância.

Estas correções são de grande utilidade para o sistema niteroiense. Bom lembrar que a minha proposta de ressurreição do Terminal Sul e do Terminal Rink (esta para as linhas paradas na Av. Ernani do Amaral Peixoto), alterariam significadamente o itinerário de boa parte das linhas, provocando a reutilização das ruas Andrade Neves e Dr. Borman para o tráfego de ônibus, como era nos anos 70 e 80.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.