quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Projetos de mobilidade para Niterói dão sinais de que foram cancelados

Anos atrás, visando a pompa da copa de futebol e das olimpíadas, foi lançado um projeto audacioso para a mobilidade urbana para Niterói. 

Haveria a construção de cinco grandes terminais nos bairros e haveria a diminuição de linhas para o centro da cidade, que iriam a cada terminal, estrategicamente localizado, permitindo baldeação gratuita (ou por meio de bilhete) dentro dos terminais para depois entrar nos BRTs que levariam ao centro da cidade. Uma maravilha. Aliás, como foi planejado, seria muito melhor que o confuso projeto do BRT atualmente em operação na capital.

Era um projeto na campanha de Felipe Peixoto, que concorria na eleição de 2012 com Rodrigo Neves. Este ganhou a eleição e engavetou o projeto. Criou outro, com um BRT que serviria apenas a Região Oceânica. Falou-se em projetos para Icaraí e para o Centro, mas nunca vi qualquer vídeo ou texto que detalhasse estes projetos. No máximo só o BRT da Ocênica.

Alegando diminuição de custos e modernização, desistiu-se do BRT e resolveram oferecer o tal de BHLS, que seria uma espécie de "super-ônibus" urbano não-articulado. Segundo disseram seria um ônibus de padrão internacional a fazer o trajeto que seria do BRT da Oceânica.

Mas pelo que se vê hoje, até mesmo este projeto deu com o burrico na água. O túnel Charitas/Cafubá, que faz parte do projeto original é o único item que está pronto e o que se vê no lugar do suposto BHLS são ônibus convencionais e alguns pisos baixos da Transoceânico/Pendotiba que sumiram das outras linhas. Ou seja, mais do mesmo.

Rodrigo Neves foi reeleito e tomou posse em sua nova gestão no começo deste ano. Seguindo orientações do partido, direitista e apoiador da base do governo golpista, prometeu cortar gastos para garantir o dinheiro para pagar as dívidas com as pessoas mais ricas da cidade (que tem maior numero de ricos por metro quadrado no Brasil). Ou seja deixa de atender aos pobres para alimentar a ganância dos abastados, mas insatisfeitos ricaços.

Isso significa que não teremos, pelo manos na gestão dele, qualquer projeto significativo de mobilidade urbana no município. No máximo, um tal de mergulhão já em construção embaixo da praça 10 de novembro, na entrada da Avenida Jansen de Mello. 

O resto, continua a mesma porcaria como está, com linhas de itinerário mal bolado, pontos em lugares estranhos e carência de ligação entre certas localidades. Não há ar condicionado e pompa que compense o péssimo transporte de Niterói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.