sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Passagens aumentam neste mês. Mas qualidade só piora

Infelizmente depois da alegre festa de ano novo, vem uma notícia bem desagradável: o aumento das passagens dos meios de transporte pelo país. Um aumento que é aleatório em relação ao salário (o salário mínimo também aumenta neste mês, mas em proporções microscópicas), o que significa que o trabalhador terá uma parcela maior de seu salário a ser raspada.

O transporte é um bom responsável pelos gastos mensais de uma pessoa. É raríssima a felicidade de se conseguir trabalho próximo a sua moradia. Quem consegue trabalhar perto de casa (ou até na própria casa) tem uma boa economia em seu rendimento, que aumenta se ele morar em área de vasto comércio, podendo realizar suas compras e serviços sem pagar passagem.

Mas como falei, é algo raro. Em tempos que emprego é difícil por causa da crise (que é mundial, do contrário que a mídia anti-PT vive dizendo), as oportunidades mais adequadas de emprego geralmente surgem a quilômetros e quilômetros da residência do trabalhador. E lá se vai boa parte da grana sendo devorada pelos empresários dos meios de transportes e de seus políticos cúmplices.

E esses aumentos tem sido proporcionalmente opostos as melhorias dos transportes. Desde que inventaram essa tal de "licitação", com o "direito" ao fardamento que transforma os ônibus em veículos da prefeitura, os sistemas tem tido uma boa piora. Nem a adoção do pomposo BRT tem conseguido melhorar o transporte. 

Para piorar, essas autoridades que não sabem o que significa a palavra "transporte público" inventaram uma pegadinha em forma de cartão chamado "bilhete único" que só pode ser utilizado em um certo limite de tempo. Uma sacanagem com o trabalhador, que é obrigado a passar por humilhações e gastar muito dinheiro para recarregar os tais cartões-pegadinha. Além de torcer para que os intermináveis engarrafamentos, nunca resolvidos por essas autoridades entusiastas de automóveis cada vez maiores (meio de transporte dos amigos de autoridades), respeitem os prazos para a utilização da promoção oferecida pelos cartões-pegadinha. Uma ofensa para quem é obrigado a utilizar o transporte público.

No Rio, o BRT forçou a extinção de muitas linhas, de um modo que as pomposas minhocas de aço não tem conseguido suprir, irritando passageiros e fazendo com que prefeito e secretário de transporte "lavassem as mãos", já que autoridades não andam de ônibus. Os problemas de transporte não atingem diretamente as autoridades que impõem com mãos de chumbo as características de funcionamento. Por isso elas fazem o que entendem, transformando o sistema de transporte numa bagunça organizada.

E meu caro amigo, infelizmente você vai tirar mais dinheiro do bolso para pagar seu transporte. Isso se você não ficar elo meio do caminho pelo péssimo transporte oferecido e pelo trânsito cada vez mais lento, que já reduz o seu tempo livre para fazer o que quiser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.